Carreira Gerenciamento Liderança e Pessoas

Como liderar uma equipe pela primeira vez?

Cheerful young businesswoman pointing at whiteboard and explaining strategy. Confident business coach presenting project to staff. Colleagues listening to presenter. Business meeting concept

A conjuntura econômica tem levado corporações a renovar suas lideranças, trocando veteranos por jovens da Geração Y (nascidos em meados dos anos 1980), conforme apontava, em 2015, a especialista em RH Eline Kullock.

A razão, no caso, seria orçamentária. Mas esse não é único motivo a explicar a tendência. Há também empresas que têm crescido e apostam em novos perfis de gerências e formas de liderar.

E, de repente, no fluxo dessa onda, você está prestes a se tornar um dos jovens líderes — mais um da Geração Y em posição de comando. Essa é uma grande oportunidade não só para ampliar as possibilidades de exercitar suas competências, mas também de ter uma participação mais ativa nos rumos da empresa em que trabalha.

Vários desafios, porém, vêm junto com o “pacote” da promoção, principalmente quando sua experiência é a de liderar uma equipe pela primeira vez. Afinal, sempre há outros funcionários aspirando à mesma vaga, o que pode resultar em ciúme.

Há também aqueles mais velhos que podem não se sentir confortáveis em lidar com alguém mais jovem em cargo de chefia. Ao lado disso, você pode se sentir inseguro diante das expectativas, reais ou imaginadas, da empresa.

Em artigo escrito para o site “LifeHack”, a colunista Kathryn Sandford, ao abordar o tema da liderança, cita uma frase de Winston Churchill que é o X da questão: “Coragem é o que nos faz levantar e falar; coragem é também aquilo que nos faz sentar e ouvir”.

A coragem, portanto, é essencial nesse e em outros momentos, porque nos faz tanto exercer nossa voz quanto ouvir o que se deve quando necessário.

Mas há algumas atitudes que podem ajudar você a começar bem sua primeira experiência de liderança de equipe. Confira:

1. Exercite o autoconhecimento para ter segurança nas ações

Quando temos clareza quanto ao nosso perfil, às nossas emoções e às nossas habilidades, ficamos mais seguros para tomar decisões. Esse conhecimento nos torna menos reféns do fluxo das coisas e mais propensos à autoliderança.

Reconhecer o próprio potencial e os próprios limites dá também à pessoa o sentido de sua humanidade: sua força e suas limitações.

De tempos em tempos, uma boa reflexão sobre si mesmo precisa estar na pauta, como uma espécie de reciclagem renovadora.

2. Tenha flexibilidade para se adaptar às demandas

Liderar uma equipe pela primeira vez certamente significa ter de conviver com situações novas, reivindicações de parceiros de equipe e exigências patronais.

Para seguir adiante, crescer profissionalmente e ter, de fato, grandes contribuições a dar, é necessária uma capacidade de adaptar-se a novos momentos e realidades.

Essa capacidade de adaptação é uma extensão do compromisso, da responsabilidade. Um verdadeiro líder não se agarra às suas ideias de modo intransigente.

Ser responsável envolve entender a necessidade de abraçar certas causas ou tarefas fundamentais para o andamento de um negócio, de uma equipe ou de uma corporação.

3. Não confunda autoridade com autoritarismo

Um líder precisa ter voz. Isso não significa, no entanto, ser a única voz. Tentar liderar por meio da imposição, confundindo “comando” com “mando” e “autoridade” com “autoritarismo”, não é nada produtivo.

Não existe equipe onde uma relação de confiança (e até de afeto) não esteja na base do convívio entre as pessoas.

4. Respeite o conhecimento dos colegas de equipe

Se você foi promovido para uma função de gestor, de liderança, é porque tem um conhecimento e uma personalidade valorizados pela empresa. Ótimo.

Mas os demais integrantes da equipe também têm experiências, habilidades e saberes que querem ver valorizados. Por isso, faça a coisa certa: valorize os demais!

Uma boa forma de reconhecer o valor dos colaboradores é demonstrar interesse quando alguém levar até você alguma ideia ou algum questionamento. Ouça com atenção e avalie essa contribuição ou demanda.

Se a pessoa aguarda uma resposta, não deixe de dar retorno. E decida com sensatez.

Falamos, no início deste texto, sobre colegas mais velhos que podem não se sentir à vontade com lideranças mais jovens.

Trabalhar para que esses funcionários enxerguem o valor dado por você à experiência e ao saber deles — seja formal ou informal — é um bom caminho para quebrar barreiras. Às vezes, além dessa quebra, sua atitude pode propiciar novas relações de amizade.

Quando você se abre a questionamentos e ideias de terceiros, alguém que desconhecia sua disposição para o diálogo pode ficar surpreso, de forma positiva, ao vê-lo em posição de liderança.

Lembre-se: conversar com horizontalidade e sinceridade facilita a construção da empatia.

5. Não se sobrecarregue com tarefas: delegue atribuições

Em uma primeira experiência de liderança de equipe, o profissional pode se sentir tentado a abraçar uma série de atividades, na tentativa de mostrar capacidade e iniciativa. Mas a imagem resultante dessa atitude, normalmente, é de centralismo.

Além disso, sobrecarregar-se com tarefas tende a gerar estresse e, por extensão, mau humor. Portanto, saiba delegar atribuições, dê espaço para os outros e demonstre confiança em si mesmo e naqueles que trabalham com você.

Liderar não é seguir sozinho em uma rota, com as mãos cheias de malas e de serviços a fazer. Liderar é abrir horizontes.

6. Valorize o aprendizado constante ao liderar uma equipe pela primeira vez

Em conversa com a revista norte-americana “Fortune”, o empresário Tom Farley, presidente do grupo Nyse, comentou sobre a experiência de ter se tornado executivo de uma empresa de software aos 24 anos de idade.

Ele disse que cometeu o erro de imaginar ter mais conhecimento do que tinha realmente. Em sua autocrítica, Farley comentou que poderia ter recorrido a pessoas que tinham algo a lhe ensinar.

Essa é, sem dúvida, uma dica importante do presidente do Nyse: reconhecer que não se sabe tudo e que é possível buscar outras fontes de conhecimento. Para isso, você pode contar, às vezes, com pessoas do seu próprio círculo de trabalho ou ramo de atividade.

Considere também recorrer a profissionais ou instituições dedicadas a assessorar carreiras. Sempre há o que aprender, e o aprendizado enriquece sua trajetória pessoal e profissional.

Se você se mantém aberto a novos conhecimentos, liderar uma equipe pela primeira vez pode resultar em algo bem melhor do que inseguranças e tensões.

Os frutos dessa experiência  não são somente novas oportunidades de progressão profissional, mas o fortalecimento do verdadeiro sentido de liderança: inspirar, encorajar e criar valor. Trata-se de um legado para a vida, portanto.

Gostou das nossas dicas para liderar uma equipe pela primeira vez? Deixe um comentário! É sempre bom saber sua opinião e conhecer suas ideias ou dúvidas!

Deixe seus comentários abaixo

Xando Natsume
Xando Natsume
Gerar conteúdo de valor é a proposta desse blog. Queremos contribuir para o seu crescimento e transformação da sua vida pessoal e profissional, explorando temas e assuntos relevantes para mudança de comportamento e carreira.
Você também pode ler
flat design businessman running on top of arrow icon vector illustration
O guia para ser um líder inesquecível (no bom sentido!)
liderança servidora
Entenda o perfil do Líder Servidor