Liderança e Pessoas

Como motivar uma equipe sem gastar muito?

como-motivar-uma-equipe-sem-gastar-muito21351

Você ainda acha que a motivação está diretamente relacionada ao dinheiro? Talvez seja melhor pensar duas vezes. Há poucos anos, uma onda de suicídios de funcionários de alto escalão em grandes empresas francesas alarmou o mundo, colocando novamente em xeque a ferocidade do sistema capitalista. Acredite você ou não, nenhuma das vítimas ganhava mal. Na verdade, todas tinham grandes perspectivas de promoção. O que houve então? Se o salário não é um elemento motivador de primeira categoria, a pergunta que devemos nos fazer é: como realmente motivar uma equipe, de preferência, sem gastar muito? Pois neste post vamos mostrar algumas maneiras de alcançar esse objetivo sem necessariamente ter que arrombar os cofres da empresa. Curioso? Então confira a seguir!

Reconhecimento e feedback

A lógica da harmonia em relação ao trabalho em equipe é simples: o mérito pelas conquistas é do time, enquanto a responsabilidade pelos fracassos é, primeiramente, do líder. Qualquer inversão nesse fluxo pode culminar em completa desarmonia no ambiente de trabalho. A verdade é que, mais que ter um salário vultoso, os profissionais querem ser reconhecidos e valorizados pelo que fazem. Um feedback bem colocado e sincero pode valer muito mais que um reajuste de valor na carteira de trabalho, pois atua motivando o funcionário, fazendo com que ele se empenhe ainda mais no dia a dia.

Desafios e superação

A falta de desafios é um dos principais motivos pelos quais trabalhadores costumam pedir demissão do emprego, sabia? Afinal de contas, manter um funcionário com enorme potencial encarregado de tarefas rotineiras e burocráticas não só irá desmotivá-lo como seu desânimo e suas reclamações logo contagiarão toda a equipe. Aí entram os planos de carreira e os prêmios por produtividade, benefícios que mantêm o colaborador sempre atento a novas oportunidades dentro da organização. Caso o orçamento não permita, tente ao menos estimular uma competição sadia entre os membros do time, do tipo funcionário do mês.

Direitos e benefícios

É muito comum diretores e presidentes usarem o termo vestir a camisa da empresa para designar motivação. De fato, essa é uma metáfora poderosa, mas que não terá nenhum efeito positivo caso a recíproca não seja verdadeira — ou seja, caso a empresa não vista a camisa de seus funcionários. E isso é possível por meio de uma gestão de direitos e benefícios bem executada pelo setor de Recursos Humanos. Mas nada de pensar que isso também significa ser generoso ou populista, concedendo aumentos e regalias que comprometam o caixa da empresa, ok?

Muitas vezes, gestores demandam mais e mais empenho, mas sequer se atentam para o cumprimento dos mais básicos direitos trabalhistas do seu quadro de funcionários. Férias vencidas e não usufruídas por falta de alinhamento do RH, diária de cartão alimentação desatualizada, atraso na entrega de vale-transporte e plano de saúde inexistente ou precário são apenas algumas das intempéries que passam a automaticamente desmotivar qualquer equipe, muito mais que a falta de reajuste salarial.

638x100px-banner-blog-formula-lideranca_equipes-v1

Entrosamento e comunicação

Principalmente entre equipe e líder, a falta de comunicação funciona como uma armadilha para a produtividade geral da organização. Quando a boataria toma o lugar do diálogo bilateral e transparente, aqueles colaboradores que recebem informações pelos corredores tendem a se sentir desrespeitados pela empresa e pelos próprios colegas. A partir daí, a onda de insatisfação pode se tornar difícil de conter. Além de ser uma prática barata para os cofres da empresa, promover o entrosamento é uma forma de reduzir os boatos e promover um ambiente de trabalho menos asfixiante. Reuniões periódicas, cafés comunitários, happy hours, festas de aniversário e almoços bancados pela companhia são estratégias que só contribuem para manter o bom relacionamento e a motivação.

Igualdade e valorização

Já faz muito tempo que os trabalhadores deixaram de se conformar em serem vistos apenas como uma sequência de números dentro das empresas. Hoje, em plena era da informação, todos querem ser ouvidos e, mais ainda, demandam que suas opiniões tenham algum peso nas decisões dos gestores. E, pensando bem, por que não? Abrir um canal de diálogo por meio do qual até o estagiário recém-contratado possa dividir ideias com o presidente da companhia é não só uma prova de valorização como uma forma de buscar novos direcionamentos vindos da própria cultura organizacional. E o melhor é que o custo dessa ação é quase nulo. Basta planejar a melhor ocasião e deixar todo mundo soltar o verbo. E se for complicado reunir todos, que tal investir em uma espécie de rede interna ou intranet, mantendo os setores na mesma página?

E a grande lição que podemos aprender com tudo isso é que cortar ou ignorar a existência desse canal de comunicação interna significa criar um cenário de ressentimentos, em que geralmente os funcionários não se enxergam como parte do sucesso da empresa. E essa insatisfação generalizada termina em um movimento contrário. Desmotivados, os colaboradores passam a boicotar em vez de ajudar com seus pontos de vista, suas sugestões e reclamações.

Equilíbrio e confiança

Recentemente, um médico, escritor e influenciador do LinkedIn publicou um polêmico artigo na rede social em que defende a tese de que um chefe ruim chega a fazer tão mal à saúde quanto o cigarro. Guardadas as devidas proporções, uma liderança que deixa a desejar, aproximando-se mais da posição autoritária de chefia, acaba se tornando uma contínua injeção de estresse e angústia na equipe. Como resultado, tem-se uma falta de autoconfiança coletiva para a realização das tarefas mais triviais do dia a dia. Assim, caso se encontre na difícil posição de gerenciar uma equipe, reflita sobre suas atitudes. Se tiver dúvidas sobre sua conduta, implemente uma pesquisa de satisfação interna para conseguir entender como os funcionários enxergam sua atuação. Talvez o obstáculo para a motivação seja justamente uma conduta desequilibrada.

E então, pronto para colocar nossas dicas em prática e motivar sua equipe sem gastar muito? Qual das nossas sugestões chamou mais sua atenção? Comente aqui e divida suas impressões conosco! E se quer ficar por dentro de mais assuntos como esse, não perca tempo: assine já a nossa newsletter!

Deixe seus comentários abaixo

Xando Natsume
Xando Natsume
Gerar conteúdo de valor é a proposta desse blog. Queremos contribuir para o seu crescimento e transformação da sua vida pessoal e profissional, explorando temas e assuntos relevantes para mudança de comportamento e carreira.
Você também pode ler
36053-a-arte-de-delegar-tarefas-sem-autoritarismo
A arte de delegar tarefas sem autoritarismo
59470-lider-aprenda-como-reverter-a-imagem-negativa-no-trabalho
Líder: aprenda como reverter a imagem negativa no trabalho