Autoconhecimento Comportamento

Gerações XYZ: existe um ponto de equilíbrio para engajar colaboradores?

geracoes-xyz-existe-um-ponto-de-equilibrio-para-engajar-colaboradores31095

Um dos maiores desafios de todo gestor é lidar com as particularidades de cada geração de colaboradores em sua organização. Como tiveram criações e formações muito distintas, as gerações XYZ tendem a ter posturas bem diferentes no ambiente de trabalho e cabe ao gestor encontrar o melhor caminho para mantê-las sempre motivadas, engajadas e trabalhando em harmonia.

A boa notícia é que, com um bom planejamento e pequenas mudanças na rotina da organização, esse desafio pode ser facilmente superado. Confira, neste post, os perfis das gerações XYZ e a forma mais adequada de manter o seu diversificado time sempre engajado.

Entendendo as gerações XYZ

É claro que cada ser humano tem as suas características e particularidades e não podemos, nem devemos, generalizar um time de colaboradores. Entretanto, a experiência nos mostra que profissionais de uma mesma geração tendem a ter expectativas, demandas e formas de lidar com o trabalho muito semelhantes, o que pode ser chamado de padrão comportamental.

Por isso, é essencial compreender quais são as características fundamentais de cada grupo, para que elas sejam trabalhadas de forma assertiva e eficiente dentro de uma organização.

A geração X

Essa geração é formada pelas pessoas nascidas entre as décadas de 60 e 70. É caracterizada por uma resistência às novidades e uma insegurança em relação às gerações mais novas. O que é facilmente compreensível, se considerarmos o contexto histórico no qual cresceram, marcado por incertezas.

Já em sua fase produtiva, a geração X presenciou o aparecimento dos computadores pessoais, telefones celulares, internet, coisas que alteraram drasticamente a sua forma de trabalhar.

São pessoas acostumadas a produzir intensamente e, muitas vezes, vinculam o sucesso às horas dedicadas à empresa.

A geração Y

A geração Y nasceu entre as décadas de 70 e 90, o que significa que são pessoas de uma era em que a Internet e os principais avanços tecnológicos da nossa sociedade já estavam amplamente disseminados e consolidados. Pode-se dizer, de forma geral, que se trata de uma geração que cresceu com uma série de benefícios e vantagens. Educados por pais que passaram por muitas privações, receberam tudo aquilo que seus antecessores não podiam ter.

A geração Y é amplamente reconhecida por sua habilidade de executar tarefas múltiplas, pelo seu desejo constante por novidade, pela habilidade na construção de relações interpessoais e por certa instabilidade profissional: a busca por novos desafios e experiências acaba por fazer com que a estabilidade não seja uma preocupação primordial.

A geração Z

Nascidos entre 1990 e 2010, os jovens da geração Z podem ser vistos como extremamente bem informados, conectados e globalizados. Esses conceitos fazem parte de sua vida desde o nascimento, o que faz com que lidem com eles com bastante habilidade.

Por outro lado, o excesso de comunicação virtual em detrimento do contato face a face gerou indivíduos com dificuldades para interagir no dia a dia, com grande resistência a opinião alheia e ao diálogo.

A geração Z valoriza bastante a qualidade de vida, o que se traduz em uma busca constante por opções de trabalho com horários flexíveis, home office ou outras opções que não cerceiem a sua liberdade.

Definindo os principais conflitos na dinâmica desses grupos

Com características tão diferentes entre as gerações, é de se esperar que alguns conflitos aconteçam no ambiente de trabalho. É responsabilidade do líder encontrar a melhor forma de equilibrar expectativas e necessidades de seus colaboradores, gerando um time bem alinhado e engajado.

Entender quais são as principais razões responsáveis pelos conflitos é o primeiro passo rumo às soluções. Por isso, vamos analisá-las:

Falta de confiança

É claro que cada um dos perfis geracionais acredita que a sua forma de trabalho é a mais eficiente e produtiva. Combinar diferentes gerações dentro de um departamento ou empresa pode gerar insegurança na medida em que os colaboradores podem questionar o trabalho alheio, acreditando que ele não está sendo executado de forma adequada. Eventuais dificuldades de comunicação e compreensão tendem a agravar esse quadro.

Líderes mais jovens

Considerando que muitas organizações têm adotado práticas de gestão inovadoras, um cenário comum a ser enfrentado é o de líderes jovens, da Geração Y, responsáveis por equipes da Geração X — aquelas pessoas que estão na organização há décadas — e Geração Z — estagiários com um estilo de trabalho completamente diferente.

Nesse contexto, é preciso firmeza e uma gestão muito alinhada, para que não ocorram problemas de hierarquia e todos tenham consciência de seu papel na equipe.

Estilos diversos

Em um ambiente organizacional, é frequente que os líderes tentem repassar o seu estilo de trabalho aos colaboradores. No entanto, ao lidar com uma equipe composta por colaboradores de diferentes gerações, esse processo pode ser um tanto complexo e o líder pode encontrar grande resistência, o que dá origem a diversos conflitos de ideias.

Encontrando o caminho para gerenciar e engajar todas as gerações

Por mais que o desafio pareça imenso, algumas mudanças sutis na forma de se relacionar com a equipe e de exercer a liderança ajudam o líder a construir uma cultura organizacional de colaboração, compreensão e confiança, independentemente das diferentes gerações de colaboradores. Essas mudanças têm impacto considerável na motivação e no engajamento, por isso, são fundamentais para o sucesso da organização.

Comunicação

Um dos principais pilares de qualquer gestão de sucesso é a comunicação. Enquanto líder, a sua função é manter uma equipe alinhada e bastante produtiva, e o diálogo é uma ferramenta indispensável nesse processo.

Converse com a sua equipe, mostre o que espera de cada um, quais são os planos e metas da empresa. Ao compreender a importância do trabalho em equipe e o papel de cada um dentro da organização, os colaboradores tendem a superar as diferenças.

Ao perceber um colaborador destoante do conjunto, trazendo um impacto negativo para a produtividade da equipe, apresente um feedback coerente, mostrando o que precisa ser mudado para a sua manutenção e bom rendimento na empresa.

Aprendizado contínuo

Institua na organização a cultura do aprendizado contínuo. Mostre aos funcionários que os colegas de trabalho têm muito a ensinar uns aos outros, uma vez que cada geração tem os seus pontos fortes e suas fragilidades.

Essa postura deve vir do líder, que precisa, também, estar sempre disposto a aprender com os seus colaboradores.

Ambiente de trabalho

Esforce-se e faça todas as mudanças necessárias para oferecer um ambiente de trabalho cada vez melhor aos seus colaboradores. Preocupe-se com a qualidade de vida do seu time e, com a construção de relacionamentos que sejam saudáveis e interessantes para todos.

Que tal, por exemplo, incentivar a prática de algum esporte em grupo? Assim, os diferentes perfis terão a oportunidade de interagir fora das tensões organizacionais, fortalecendo os laços de companheirismo — o que vai ajudar bastante no dia a dia da empresa.

Procurar conhecer bem os seus colaboradores é um processo muito importante, para entender a melhor forma de orientar cada um dentro dos processos e da cultura da sua organização.

O conflito das gerações XYZ é uma realidade que pode ser contornada, sem problemas, por um líder sólido e bem preparado. Para saber mais sobre o tema, baixe o nosso e-book “Como Liderar a Nova Geração” e esteja mais bem preparado para um ambiente cada vez mais competitivo.

Deixe seus comentários abaixo

Xando Natsume
Xando Natsume
Gerar conteúdo de valor é a proposta desse blog. Queremos contribuir para o seu crescimento e transformação da sua vida pessoal e profissional, explorando temas e assuntos relevantes para mudança de comportamento e carreira.
Você também pode ler
54569-por-que-chorar-no-trabalho-pode-ser-um-mau-sinal
Por que chorar no trabalho pode ser um mau sinal?
70745-o-que-procurar-em-um-treinamento-para-executivos
O que procurar em um treinamento para executivos?