Liderança e Pessoas

Os maiores desafios da gestão de pessoas em pequenas empresas

gestão-rh

Com o mercado de trabalho se mostrando cada vez mais competitivo, as empresas passaram a entender que não basta contar com excelência em seus produtos e serviços. É preciso investir no fator humano! O segredo está em buscar pessoas qualificadas e talentosas que realmente agreguem valor ao negócio. Enquanto isso, os jovens talentos estão cada vez mais exigentes em busca de oportunidades que proporcionem desenvolvimento e um plano de carreira não só estruturado como transparente.

Por essas e outras é que a empresa deve investir em gestão de pessoas, a fim de desenvolver um planejamento estratégico que busque o alinhamento entre as expectativas dos colaboradores e da organização para alcançar o sucesso sem maiores problemas no meio do caminho. E a gestão de pessoas em pequenas empresas é um desafio ainda maior, pois entram outras variáveis no cenário, indo desde o conservadorismo até as dificuldades com custos fixos para manter um setor de Recursos Humanos.

Para ajudá-lo a investir adequadamente no fator humano, listaremos aqui os principais desafios da gestão de pessoas de modo geral e, em seguida, especialmente em relação às pequenas empresas. Pronto? Então acompanhe:

Atração e retenção de talentos

Para que as organizações alcancem o sucesso, precisam contar com um processo de gestão de pessoas bem estruturado, a fim de desenvolverem estratégias voltadas para a atração e a retenção de talentos. As organizações que apresentam dificuldades nesse quesito normalmente pecam na observação de fatores motivacionais, de recrutamento e de reconhecimento desses profissionais.

Por isso, as empresas devem sempre buscar a excelência em seus processos seletivos, saber definir cargos e tarefas adequados às potencialidades das pessoas, utilizar a avaliação de desempenho para identificar pontos a serem desenvolvidos pelos funcionários, disponibilizar treinamentos contínuos, dar acesso a informações e promover conhecimento acerca do negócio da empresa. Além do mais, devem ter um bom programa de reconhecimento (seja por meio de benefícios, remuneração ou recompensas), dar autonomia para que colaboradores participem nas decisões e assim por diante.

Nesse contexto, a liderança desempenha um papel essencial, uma vez que atua diretamente na motivação dos colaboradores, mantendo-os em constante busca por conhecimento e capacitação. Bons líderes se fazem protagonistas no desenvolvimento de competências estratégicas e na criação da cultura de aprendizado na empresa. Lembre-se, afinal, de que não basta atrair os talentos, é necessário recompensar, desenvolver e monitorá-los, a fim de mantê-los na companhia.

Ambiente e estratégias de recompensa

Como os jovens talentos de hoje em dia buscam por trabalhos que proporcionem desenvolvimento profissional e pessoal, não se satisfazem apenas com um bom salário. Com isso em mente, as empresas devem investir em um plano de carreira estruturado, por meio de um estratégia sucessória e de um sistema recompensas que transmitam credibilidade aos funcionários.

Além disso, as pessoas também estão em busca de ambientes de trabalho agradáveis, onde tenham a liberdade para colocar sua criatividade em prática e, se possível, participar da tomada de decisões. Cabe à liderança, então, proporcionar essa atmosfera, de preferência transformando essa mudança em parte integral da cultura do negócio.

Reconhecimento de desempenho

Além de um ambiente agradável, salário e benefícios, os funcionários precisam de reconhecimento. E o líder é o principal responsável por isso, prestigiando o colaborador por seu desempenho positivo. Fazer a devida divulgação para outras áreas e setores do seu trabalho, aumentando sua credibilidade na organização já é uma boa pedida. Outra forma de oferecer esse reconhecimento é aumentando o nível de sociabilidade da equipe por meio de comemorações. Assim os membros do time podem se conhecer melhor, aumentando a ajuda mútua e a capacidade de inovação.

O reconhecimento por meio de premiações, por mais que não garanta a retenção dos talentos, ajuda a aumentar a satisfação dos colaboradores por serem reconhecidos por seu desempenho, superando as expectativas. Não se esqueça de que o momento de reconhecimento do funcionário é caro e raro. Por isso, é preciso saber usá-lo para aumentar sua motivação.

638x100px-banner-blog-formula-lideranca_equipes-v1

Particularidades das pequenas empresas

As pequenas empresas encaram um desafio ainda maior: manter um setor de Recursos Humanos estruturado. E para sustentar uma área voltada para a gestão de pessoas é preciso ter orçamento para investir em remuneração, encargos sociais, manutenção de tecnologias e espaço físico. E por mais que as demandas não sejam constantes, os custos fixos envolvidos são elevados.

Por isso é que as pequenas empresas precisam buscar alternativas para seu RH, optando, por exemplo, pela contratação de uma empresa especializada na área. Essa parceria poderá desenvolver o departamento a baixos custos, uma vez que é um investimento fora da folha de pagamento da empresa. Isso sem contar que agrega valor às ações internas de RH na organização.

Outro ponto a ser destacado está relacionado à resistência que tais empresas apresentam em relação a tendências e inovações tecnológicas. Isso se dá, geralmente, em função do conservadorismo dos donos. Mas, especialmente hoje em dia, é essencial buscar por conhecimento e acompanhar as mudanças de mercado para se adaptar e obter bons resultados.

Por último, mas definitivamente não menos importante, entender a importância da gestão de pessoas para o negócio costuma se apresentar como um desafio a mais nas pequenas empresas. É preciso lembrar que são exatamente as pessoas que alcançam metas e resultados. Na prática, as pessoas são a empresa! Portanto, apesar dos desafios, a gestão de pessoas é uma ferramenta essencial para que os pequenos negócios se desenvolvam e se tornem mais competitivos.

E então, pronto para transformar sua empresa mais atrativa para os jovens talentos? Observou como todos os desafios estão associados às práticas de RH e à liderança? As organizações precisam se conscientizar sobre as estratégias necessárias para a retenção de seus talentos, no sentido de entender que não apenas uma boa remuneração os manterá na empresa. Aí entra, claro, gestão de pessoas, investindo em competências, trabalho em equipe, habilidades, descoberta de potenciais e lideranças.

O livro O monge e o executivo, de James Hunter, traz um novo olhar sobre a liderança, alertando para a importância da humanização no mundo organizacional. Quer saber mais? Confira aqui as informações sobre o treinamento oficial do livro. Aproveite e confira também este nosso outro post sobre o segredo da felicidade no trabalho!

Deixe seus comentários abaixo

Xando Natsume
Xando Natsume
Gerar conteúdo de valor é a proposta desse blog. Queremos contribuir para o seu crescimento e transformação da sua vida pessoal e profissional, explorando temas e assuntos relevantes para mudança de comportamento e carreira.
Você também pode ler
74294-como-solucionar-problemas-internos-na-empresa
Como solucionar problemas internos na empresa?
Group of friendly businesspeople with male leader in front
Líder: você sabe o que seus colaboradores esperam de você?