Liderança e Pessoas

8 tipos de líderes negativos

tipos-de-lideres

Empresários e gestores reconhecem os impactos causados pelos diferentes estilos de liderança, tanto na motivação quanto na produtividade das equipes. Essas variações acontecem devido a diversos aspectos, como por exemplo, personalidade, modelo mental, preferências, ambições, experiências e valores pessoais. Em alguns casos o tipo de liderança pode ser negativo. Entretanto, alguns padrões de gestão apresentam resultados mais consistentes e sustentáveis, de acordo com peculiaridades, características e demandas do negócio.

É preciso considerar que o capital humano deve ser um dos elementos mais importantes na estratégia de qualquer empresa, por isso, há a necessidade de compreender os tipos de líderes mais comuns, suas características e aptidões específicas. Através desta avaliação, o líder consegue perceber qual o seu perfil e então, deve agir para o próprio desenvolvimento e aperfeiçoamento profissional.

O estilo de liderança pode influenciar positiva ou negativamente, a carreira do líder, tanto no ambiente corporativo, como principalmente, na trajetória como empreendedor.

Conheça agora os tipos de liderança que devem ser evitados, para otimizar gestão de seus recursos humanos e resultados financeiros.

1. Autocrático

O líder autocrático centraliza todo o poder de decisão. Conduz a equipe com vigor, mas não valoriza as competências, talentos e o empenho individuais. Não se dedica a ouvir sugestões ou novas ideias, e assim, limita a participação dos colaboradores. A falta de delegação causa sobrecarga, e muitas vezes o impede de os objetivos planejados, atrofiando as potencialidades do time, fazendo com que sempre haja uma grande dependência da figura central. Deste modo, iniciativa, proatividade e inovação não fazem parte do cotidiano desta empresa.

638x100px-banner-blog-formula-autoconhecimento_lideranca-v1

2. Coercitivo

O coercitivo impõe a hierarquia e cobra obediência de todos. É individualista, inflexível, crítico e opressor. Porém, esse perfil reflete uma grande incapacidade de construir relacionamentos produtivos. Assim, mantem o foco exclusivamente nos indicadores e exige o cumprimento das metas, sem atuar verdadeiramente junto a equipe. Essa gestão, baseada em ameaças já se mostrou ineficaz, uma vez que falha em conquistar engajamento e reter bons profissionais.

3. Workaholic

O líder workaholic é viciado em trabalho e espera a mesma postura de suas equipes. Em linhas gerais, não respeita horários e reclama total dedicação dos colaboradores. Costuma extrapolar o conceito de comprometimento, gerando demandas constantemente. Também é um estilo de liderança com foco exclusivo em resultados, desconsiderando a importância de uma gestão humanizada.

4. Exigente

O exigente é extremamente detalhista, observador e analítico, pois acredita que a excelência é essencial em qualquer tarefa. Contudo, centraliza as decisões e não abre espaço para a colaboração. É orientado ao microgerenciamento, apegando-se às minúcias todas as etapas dos processos. Desta forma, não consegue ter uma visão mais abrangente do negócio e da própria equipe, o que prejudica a obtenção de resultados maiores e mais estratégicos.

5. Autoritário

Entre os tipos de líderes nocivos, surge o autoritário, mais conhecido como o chefe tradicional. Prefere manter certa distância da equipe, o que dificulta a criação de uma relação de confiança e respeito. Comanda através de ordens, com firmeza e certa agressividade, podendo transmitir força e autoconfiança, mas também reações prejudiciais por parte de seus colaboradores. Faz duras críticas aos profissionais que não apresentam alto desempenho. Também não se dedica a aspectos relacionados a gestão de pessoas, como desenvolvimento de um plano de carreira, adoção de feedbacks estruturados, além do planejamento de treinamento e capacitação.

6. Especialista

O especialista construiu a carreira através de seu conhecimento técnico, especializações e know-how. Assim, é bastante útil no dia a dia da empresa e colabora para a solução de problemas pontuais e específicos. Entretanto, muitas vezes, não investe em outros aprendizados, descuidando de habilidades importantes, gerenciais e comportamentais, exigidas na condução de equipes e de negócios. Neste caso, é fundamental balancear as competências de especialista e de líder, de modo a se tornar também um generalista, pronto para administrar a empresa com eficiência.

7. Liberal

O liberal baseia a sua liderança na maturidade das equipes, de modo a permitir uma autogestão. Deste modo, existem mais oportunidades para a inovação, o pensamento criativo e a colaboração. Entretanto, esse líder pode se tornar negligente e incompetente, se não conhecer profundamente todos os colaboradores, identificando os níveis de engajamento e motivação de cada um. A presença e a atitude do líder são essenciais, principalmente em momentos críticos, onde são necessárias decisões imediatas e assertivas.

8. Paternal

O paternal constrói laços emocionais com a equipe, estabelecendo relacionamentos pessoais. Mas esse estilo de liderança, ao contrário de muitos outros, não está orientado para os resultados, o que pode ser muito prejudicial aos negócios. Esse líder tem dificuldades em exigir mais desempenho dos colaboradores, em dar feedbacks negativos e a cobrar a conquista de metas individuais e coletivas. Desta forma, a questão paternal atrapalha os julgamentos e as ações que envolvem o time.

A liderança servidora como alternativa

A liderança servidora é um dos estilos capazes de produzir mudanças significativas na postura e nos resultados das equipes. Na verdade, servir aos liderados significa estar disponível para ouvir, orientar e ajudar. Esse tipo de direção considera uma série de outras condições, como compartilhar conhecimentos, apoiar o desenvolvimento e o aprendizado, incentivar o amadurecimento e oferecer desafios. Para tanto, esse líder precisa trabalhar competências comportamentais importantes, como a empatia, a humildade, o equilíbrio emocional e a comunicação interpessoal. Somente assim, é possível reconhecer as necessidades e talentos dos colaboradores, incentivando o crescimento e explorando todo o potencial de cada colaborador.

Diferentemente dos outros aqui citados, uma das principais características do líder servidor é a capacidade de persuadir e de convencer, sempre através de ideias e questionamentos positivos, e nunca coagir ou constranger. Assim, a liderança servidora está baseada na capacidade de influenciar e de fazer com que os colaboradores pensem, avaliem e criem opiniões. Esse processo transforma as equipes, tornando-as mais participativas, atuantes e completas, favorecendo a construção de times de alta performance. Além disso, o líder servidor é capaz de identificar as reais necessidades do time, estando apto a atendê-las de forma efetiva.

O princípio desse direcionamento está na confirmação de que o líder só executa sua verdadeira função, quando contribui ativamente para o crescimento de seus liderados. Assim, servir exige algum sacrifício, como deixar de lado vaidades e futilidades, de modo a estar verdadeiramente pronto para agregar, incentivar e auxiliar as equipes a atuarem em um outro nível de qualidade e eficiência.

Se identificou com algum destes estilos de liderança? Que tipo de líder é você? Compartilhe conosco suas impressões e experiências na condução de equipes de trabalho.

638x100px-banner-blog-formula-autoconhecimento_lideranca-v1

Deixe seus comentários abaixo

Xando Natsume
Xando Natsume
Gerar conteúdo de valor é a proposta desse blog. Queremos contribuir para o seu crescimento e transformação da sua vida pessoal e profissional, explorando temas e assuntos relevantes para mudança de comportamento e carreira.
Você também pode ler
33385-saiba-como-usar-a-inteligencia-emocional-a-seu-favor-na-lideranca
Saiba como usar a Inteligência emocional a seu favor na liderança
71891-6-processos-para-melhorar-a-tomada-de-decisoes-na-empresa
6 processos para melhorar a tomada de decisões na empresa
8 Comentários

Deixe Seu Comentário